Food Truck - A Batalha

Parece que os food trucks não estão gerando batalhas apenas no programa da GNT, onde os chefs disputam quem vende mais nas ruas de São Paulo e, ao final, quem vence fica com a própria grana, e a do adversário.

A batalha real é ainda maior fora das telinhas, e envolve de um lado, os donos de restaurantes e de grandes redes de franquias, e de outro os food trucks, pequenos e iniciantes, mas que vem com força total, como um exército de caminhõezinhos que não vão se deixar abater.

Toda batalha tem um estopim, e não é tão difícil de se imaginar qual o motivo desta guerra entre os “grandes” (restaurantes e franquias) e os food trucks.

Os “grandes” alegam estar sofrendo uma concorrência desleal, já que os trucks vendem comidas de alto nível a um preço baixo, e podem fazê-lo devido ao baixo custo das suas despesas com aluguel, funcionários e impostos, além de não terem que oferecer banheiros.

Eles alegam também grande dificuldade para abrir um restaurante num espaço físico, devido às exigências da vigilância sanitária quanto à reformas de banheiros e cozinhas, além dos gastos altos com aluguel, e temem falta de fiscalização para com os food trucks.

Tudo bem que esta briga teve início lá em 2013, antes de serem criadas as leis que regulamentam esse novo modelo de negócio da área de alimentação, bem no começo, quando o exército de caminhõezinhos chegou com tudo, meio sem leis, no “oba oba”, assustando os grandes.

Mas pelo que podemos observar, a galera do food truck está fazendo tudo certinho, lutando pela regulamentação, para poderem trabalhar dentro das normas, pelo menos, a maioria. Prova disso é a notícia, cada vez mais fraquente, de uma nova cidade brasileira que anuncia a liberação dos food trucks em suas ruas, como é o caso de Curitiba, que conseguiu a liberação na semana passada (leia a notícia aqui). Leia mais em Portal do Franchising.

A BATALHA DEVE CONTINUAR … NAS RUAS!

Agora que os food trucks já se tornaram um negócio consistente, principalmente em São Paulo, os donos das redes de franquias de alimentação estão dispostos a invadir as ruas também, com o modelo “food truck” de suas franquias.

É o caso da Makis, temakeria que oferecia apenas os modelos de restaurantes de rua, de preça de alimentação e de quiosques em shoppings centers, e que agora lançou o formato food truck que fica no espaço Butantan Food Park.

É como diz o velho ditado, “se você não pode com eles, junte-se a eles”.

Franquia de temaki ainda vai, só espero que o Mc Donalds não resolva lançar franquia no formato food truck, porque aí é pra acabar com a intenção inicial do negócio, de “alta gastronomia” e “gourmet”. Mas isso é assunto pra outro post.

DEIXE UMA RESPOSTA